Carreira

Carreira sobre rodas

15/04/2015


Cada vez mais diversificados os food trucks estão ganhando as ruas

 

Impulsionados pela regulamentação de comida de rua em São Paulo, os food trucks estão ganhando espaço nas cidades. Com um visual diferente, eles chamam a atenção.

Kátia Tess trabalhava com publicidade e decidiu mudar de carreira, pois sentia que a longo prazo ficaria na mesmice. Ela e o marido já assistiam a programas de TV norte-americanos que mostravam os caminhões. Unindo a vontade de inovar e a paixão por cachorro quente, após seis meses de pesquisa detalhada sobre custos e regulamentações, eles decidiram abrir o negócio. O sucesso foi tão grande que em apenas dois anos abriram uma unidade d’A Dogueria num ponto fixo.

Segundo Kátia, foi necessário cerca de 100 mil reais para abrir o truck e o tempo de retorno desse investimento foi de um ano. A equipe conta com cerca de cinco pessoas que se revezam entre o truck e a loja, já que o caminhão é usado em eventos mensalmente.

“Por estar sobre rodas você pode levar o seu produto a qualquer lugar e atender um público diferente. Essa variedade de público é fundamental”, comenta Kátia.

O proprietário do truck pode personalizá-lo de acordo com seu gosto e Kátia optou pelo tema de super-heróis para acompanhar sua paixão pela Mulher Maravilha. A pedido de Kátia, um amigo dela fez uma versão diferente da personagem que é vista numa gravura na porta do banheiro feminino em sua loja. “É um tema muito jovem e alegre, principalmente para as crianças”, conta.

Guia de food trucks

O movimento começou a ganhar tanta notoriedade que em 2014 as publicitárias Kelly Martins e Carla Somose decidiram lançar na web o Guia Food Truck nas Ruas, no qual podem-se encontrar diversos trucks espalhados pelo Brasil, com um breve relato sobre o diferencial de cada um e informações como local e horários de funcionamento.

A ideia surgiu de uma conversa informal das sócias, que perceberam a ausência de um guia que localizasse os food trucks na capital paulista, onde moram. “Vimos que apesar de o mercado de comida de rua estar crescendo e se profissionalizando, faltava um canal de comunicação para localizarmos esses grandes chefs de cozinha que estão dedicando a sua experiência e tempo às famosas comidas de rua. Agora, após a legalização da Prefeitura de São Paulo, criamos um canal de informação relacionado ao segmento e, principalmente, um espaço onde esses profissionais podem ser encontrados pelos clientes”, conta Carla.

Com esse serviço, o proprietário do food truck consegue atingir mais pessoas e ter um trabalho de divulgação ativo 24 horas por dia. Segundo as proprietárias, donos de trucks receberam propostas para trabalhar em eventos após o cadastro na página.

Para Reinaldo Messias, consultor do Sebrae, o negócio ainda é uma grande novidade. “Vender seus produtos sobre rodas é mais fácil do que no ponto fixo. A pessoa vai pagar taxações públicas menores do que estabelecimentos fixos”, argumenta. O empreendedor que opta pelo truck pode pagar menores taxas de luz e está isento de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

Segundo Messias, o investimento para montar o food truck  pode chegar a R$ 600 mil dependendo do tipo de veículo, da adaptação da cozinha na carroceria e dos equipamentos que serão instalados. O consultor ressalta que a cozinha deve ser de aço inox, material que não é corrosivo e é de fácil limpeza.

 


Mais vistos